Uma Carta de Amor*

[Thakhek – 06 de Março de 2017]

Antes de te encontrar me falaram que você era bacana, mas que eu não deveria gastar meu tempo tentando te conhecer melhor. Duas ou três semanas seriam mais do que suficientes; depois disso eu me cansaria e partiria para outra.

Eu tinha planos de voltar para algo que já tinha despertado meu interesse assim que me cansasse de você. Mas eis que aqui estou, ainda olhando para você, apreciando sua beleza. Completamente apaixonada.

Já se passaram dois meses e você ainda me impressiona e me diverte com suas cores, formas, cheiros e sabores. Você me mantém curiosa e cheia de vontade de aprender mais sobre sua história, suas pessoas, seus medos e desafios. Me diga: como eu posso te ajudar? Como podemos trabalhar juntos? O que eu preciso fazer para continuar perto de você?

Quem me conhece anda dizendo que estou mais bonita. Que meus olhos têm um brilho especial e que meu sorriso está ainda maior. Estão dizendo que irradio alegria e, embora não seja 100% por sua causa – estou alegre porque sinto que estou no lugar certo para meu corpo, mente e alma-, você tem sim um bocado a ver com isso.

Você me ajudou a reencontrar uma antiga paixão: tear; me mostrando  trabalhos lindos e inspiradores, feitos for pessoas talentosas, em cantos remotos.

Você me ensinou a relaxar e seguir a energia de cada momento, inclusive me fez quebrar regras de vez em quando. Me fez provar coisas novas e experimentar mais.

Você me deu amantes e me trouxe um novo amor.

Você me fez sentir anos mais jovem, apesar de eu ficar um ano mais velha ao seu lado.

Nas montanhas, lá no norte, você me mostrou vistas de tirar o fôlego enquanto brincávamos de esconde-esconde durante o por do sol.

E quando seguíamos para o sul eu percebi quanta diversidade você carrega. As montanhas deram espaço a planícies, a brisa fresca a ondas de calor; e quando o ar ficou pesado de tão quente você me apontou águas frescas onde me banhar. E assim encontrei um outro amor: o rio Mekong ❤

Como não te amar?! Por suas redes, seu arroz grudento, suas cavernas, canoas, cachoeiras. Você me surpreendeu com sua diversidade cultural: comida indiana, café japonês, petanque & pastis.

E me surpreendeu ainda mais com suas estradas sinuosas que – apesar do meu histórico de enjôos em longas viagens – me mantiveram sã e salva.

Você também me fez chorar e me deu algumas cicatrizes novas. Ao aprender sobre suas bombas e medos eu não aguentei e não segurei as lágrimas.

Mas acima de tudo você me deu novos amigos, novas inspirações, novas histórias para contar.

Histórias sobre pessoas, lugares, sentimentos.

Histórias de amor.

*Para o Laos

A Love Letter*

 

[Thakhek – March 06, 2017]

Before meeting you, I was told you were nice but not worth the time to get to know you better. Two or three weeks should be enough before getting tired of you and moving on.

I had plans to go back to something else  as soon as I was done with you. But here I am, still looking at you, appreciating your beauty. Completely in love.

It’s been two months and you still amaze – and amuse – me with your colors, shapes, smells, and flavors. You keep me curious and eager to learn more about your history, your people, your fears, and challenges. Tell me: how can I help you? How can we work together? What do I need to do to stay close to you?

People who know me are saying I look great. That my eyes are shining and my smile is wider. They say I irradiate happiness and although it’s not only your fault – I’m happy because I feel I’m in the right place for my body, mind and soul – you do have a lot to do with it.

You helped me reconnect with an old passion: weaving; showing me beautiful and inspiring work made in remote places by very talented people.

You also taught me to be more relaxed, go with the flow, and even break some rules once in a while. You made me try new things and experiment more.

You gave me lovers, and love.

You made me feel years younger, despite becoming a year older while with you.

Up in the mountains, in the North, you showed me breathtaking views, while playing hide and seek during the sunset.

Heading South, I realized how diverse you could be. The mountains gave space to plains, the cool breeze to heat waves, and when I thought I could no longer breath, you pointed me fresh waters to bath in. And then something else to love: the Mekong ❤

How not to love you?! – For your hammocks, khao niao, your caves, and canoes, and waterfalls. You surprised me with Indian food, Japanese Cafe, petanque & pastis.

You surprised me even more with your winding roads that – despite my lifelong history of car sickness – kept me sane and safe.

You also made me cry and gave me a few new scars. Learning about your bombs and fears was very touching; I couldn’t hold my tears.

But most importantly, you presented me with new friends, new inspirations, and new stories to tell.

Stories about people, places, feelings.

Stories about love.

 

*To Laos